Sample image

  • + Criador: Prof. Denilton
  • + Local: IFESP
  • + Data: 02/03/2015

Documentos oficiais do Programa Institucional de Pesquisa (PIP) do IFESP:

I- MEMORANDO No 008/2018, de 28 de junho de 2018 na página do IFESP. "Documento para Download"

II- A DECISÃO NORMATIVA Nº 003/2018, de 24 de maio de 2018, institui e normatiza do Programa Institucional de Iniciação Científica, PIC, do Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy - IFESP. "Documento para Download"

III- PORTARIA No 012/2018, de 24 de maio de 2018 oficializando a criação do Grupo de Pesquisa em Avaliação Educacional e Formação Docente."Documento para Download";

IV- DECISÃO NORMATIVA No 002/2018, de 24 de maio de 2018 que dispõe acerca da Aprovação do Regimento do Conselho de Pesquisa através da RESOLUÇÃO No 003/2018, de 24 de maio de 2018 do Instituto de Educação Superior Presidente Kennedy – IFESP. "Documento para Download";

Considerações Introdutórias:

Nas últimas décadas as Instituições de Ensino Superior devem buscar tornar viável a tríade ensino-pesquisa-extensão, assumindo, como um de seus objetivos, iniciar o discente no exercício da pesquisa. Dessa forma, no decorrer do curso universitário, a assimilação pelo aluno do estágio atual no qual se encontra o conhecimento científico de sua área, aliada ao desenvolvimento da sua aptidão em resolver problemas que contribuam para o progresso da ciência, é um sensor que sinaliza o grau de excelência da sua formação científica.

Em um cenário no qual se busca aplicação dos conhecimentos assimilados no cotidiano, a primeira aproximação do aluno do IFESP ao reconhecimento científico realiza-se através das disciplinas cursadas como Pesquisa na Prática Pedagógica (PPP) e Ateliê de Pesquisa, enquanto que sua aptidão para formular e resolver problemas relacionados a determinadas temáticas de interesse científico processa-se a partir de sua inserção em projetos de pesquisa (ainda pouco expressivos na instituição). Esta Iniciação Científica deve ser compreendida em duas etapas: uma, executiva, compreende a formulação e realização da pesquisa propriamente dita, em acordo com os métodos e técnicas de investigação, próprias a cada área; outra, informativa, concerne à exposição pública dos resultados obtidos, em forma oral ou escrita.

A pesquisa no IFESP por meio de Grupos de Pesquisa (GP), busca como um de seus objetivos a agrupar professores que trabalhem em temáticas comuns ou com abordagens multidisciplinares de uma mesma temática, em diferentes áreas da Instituição.
Os objetivos dos GP são:

  • Congregar pesquisadores cujos projetos se organizem a partir de um tema de interesse comum e se distribuam em linhas de pesquisa associadas a este tema;
  • desenvolver pesquisas de natureza científica, de inovação tecnológica, cultural, artística ou filosófica, bem como em outros temas inerentes à atividade de ensino e que sejam de interesse institucional;
  • propiciar, ao estudante de graduação, a iniciação à pesquisa científica;
  • contribuir para o desenvolvimento de pesquisas multidisciplinares ou transdisciplinares;
  • favorecer a integração e a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão;
  • estimular intercâmbios e parcerias para o desenvolvimento de pesquisas, a difusão do conhecimento produzido no âmbito do IFESP e sua divulgação para a sociedade.

Constituição, criação e organização dos Grupos e Linhas de Pesquisa

I. GRUPO: AVALIAÇÃO EDUCACIONAL E FORMAÇÃO DOCENTE

Resumo: A linha de Pesquisa: Avaliação e Formação surge da necessidade de formalizar um vínculo institucional aos projetos de pesquisa que podem contribuir com as várias instituições de ensino básico, que pesquisam e são submetidas as avaliações do desempenho escolar. Analisar os efeitos e influências na organização, na cultura e na dinâmica. O objetivo básico é desenvolver estudos comparativos dos impactos e efeitos da avaliação externa nas práticas organizacionais, de gestão, e curriculares. Na área de políticas o escopo metodológico tem como base a analise cognitiva. O desenvolvimento destes estudos visa fortalecer as articulações do Grupo com as linhas de pesquisa que têm que têm orientado as investigações nesta área.

LINHAS:

AVALIAÇÃO EDUCACIONAL E FORMAÇÃO DOCENTE:

Resumo: A linha de Pesquisa: Avaliação e Formação surge da necessidade de formalizar um vínculo institucional aos projetos de pesquisa que podem contribuir com as várias instituições de ensino básico, que pesquisam e são submetidas as avaliações do desempenho escolar. Analisar os efeitos e influências na organização, na cultura e na dinâmica. O objetivo básico é desenvolver estudos comparativos dos impactos e efeitos da avaliação externa nas práticas organizacionais, de gestão, e curriculares. Na área de políticas o escopo metodológico tem como base a analise cognitiva. O desenvolvimento destes estudos visa fortalecer as articulações do Grupo com as linhas de pesquisa que têm que têm orientado as investigações nesta área.

 

MODELOS DE GESTÃO ESCOLAR:

Resumo: A linha de pesquisa tem como objeto de estudo a formação continuada e inicial de professores e de gestores, dialogando com os saberes produzidos na prática profissional. Sua intencionalidade fundante é discutir e qualificar a relação universidade/escola, intensificando a colaboração e aprendizagens mútuas, introduzindo dispositivos de formação que relacionem ensino e pesquisa, regidos, não somente por uma lógica universitária, mas por uma lógica que se aproxime da prática profissional cotidiana.

 

II. GRUPO: METODOLOGIAS E MATERIAIS DIDÁTICOS NO ENSINO BÁSICO E SUPERIOR:

Resumo: As ações do grupo “metodologias e materiais didáticos no ensino básico e formação docente” consistem em atividades de pesquisa e extensão desenvolvidas por uma equipe multidisciplinar. A proposta do grupo caracteriza-se por meio da transposição pedagógica de conceitos científicos na formação e prática docente através da produção e avaliação de metodologias de ensino e materiais didáticos.

LINHAS:

PRODUÇÃO E AVALIAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA O ENSINO BÁSICO E SUPERIOR:

Resumo: A linha buscará desenvolver pesquisas produzindo e avaliando materiais e recursos utilizados no ensino básico e superior com o intuito de atualiza-los e difundi-los observando as múltiplas aprendizagens, a democratização do conhecimento gerado e as novas metodologias difundidas.

PROCESSOS DE ENSINO APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DOCENTE:

Resumo: A linha buscará realizar análises das transformações dos processos e metodologias na formação docente observando a geração de conhecimentos para uma prestação de serviço à população com uma abordagem integral do processo de formação inicial e continuada dos servidores públicos do RN.

III. GRUPO : ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO BÁSICO:

Resumo: O grupo de pesquisa tem como meta principal desenvolver pesquisas relacionadas a Alfabetização Científica na Educação Básica, bem como investigar o ensino e a aprendizagem das Ciências. Para tanto buscaremos desenvolver projetos com o campo de pesquisa na investigação sobre a Alfabetização Científica no Ensino Médio; Iniciação Científica nas séries finais do Ensino Fundamental e sua contribuição para a Alfabetização Científica. Participarão do nosso grupo docentes e estudantes graduação e pós-graduação buscando divulgar os resultados em diferentes eventos científicos a nível nacional e internacional. Buscar-se-á contribuir na educação inicial e continuada de professores através oficinas, minicursos, onde serão desenvolvidas atividades de caráter teórico-práticas interdisciplinares que visam promover a integração entre diferentes áreas de conhecimento em propostas pedagógicas diferenciadas.

LINHAS:

ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO BÁSICO:

Resumo: O uso da alfabetização científica no ensino básico pode ser um elemento gerador de melhorias na qualidade do ensino de ciências, a fim de que seja possível formar, através de práticas inovadoras, cidadãos críticos e capazes num mundo globalizado. Atualmente, vários países têm adotado a inclusão do IBST (Inquiry-BasedSciencie) e do SSIs (Socio-scientificissues) em currículo de ciências almejando democratizar a ciência na sociedade e promover o letramento científico, partindo do princípio de que o objetivo da educação é preparar o indivíduo para ativa participação na sociedade e capacitá-los para a ação democrática na resolução de problemas sociais e ambientais, associadas ao campo da ciência e tecnologia, que afetam a sociedade moderna. Estudos e reflexões sobre as tendências atuais no ensino de ciências apontam a importância de incorporar metodologias ativas na prática docente com uma abordagem investigativa, problematizadora, que permita aos educandos resolver problemas, estabelecer relações, explicar e construir argumentos, promovendo a aprendizagem de conceitos e fenômenos científicos, em detrimento às teorias tradicionais e memorísticas de A linha buscará desenvolver projetos que ampliem a aproximação entre o ambiente de pesquisa com a comunidade escolar; formar um polo gerador de recursos, humanos e tecnológicos, para o ensino das ciências; propiciar a formação de um ambiente de qualificação para educadores da rede de ensino.

METODOLOGIAS ATIVAS:

Resumo: A maior parte do tempo - na educação presencial e a distância - ensinamos com materiais e comunicações escritos, orais e audiovisuais, previamente selecionados ou elaborados. São extremamente importantes, mas a melhor forma de aprender é combinando equilibradamente atividades, desafios e informação contextualizada. As metodologias precisam acompanhar os objetivos pretendidos ao desenvolver as propostas. A aquisição de habilidades proativas por parte de alunos, se faz necessário a adoção de metodologias em que os alunos se envolvam em atividades cada vez mais complexas, em que tenham que tomar decisões e avaliar os resultados, com apoio de materiais relevantes. É necessário possibilitar a aquisição de novas habilidades com ênfase a valorização de iniciativas. A linha buscará desenvolver projetos que potencialize no ambiente de formação formal e não formal as metodológicas; formar um polo gerador de recursos, humanos e tecnológicos, para o ensino o ensino básico de metodologias ativas; propiciar a formação de um ambiente de qualificação para educadores da rede de ensino.

IV. GRUPO: EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA APLICADAS AO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA:

Resumo: O grupo desenvolvera pesquisas que permitam colaborar com o desenvolvimento dos egressos dos cursos de licenciatura em Ciências para que no seu processo de formação inicial, eles possam prever situações que serão enfrentadas na sua prática docente, e assim, essa reflexão leve ao desenvolvimento de instrumentos que o auxiliem no planejamento de suas futuras aulas. O projeto insere o licenciando das Ciências em atividades de pesquisa e, por conseguinte, atividades de extensão, onde eles mesmos além de executar, também irão aplicar o instrumento desenvolvido.

LINHAS:

A PRÁTICA DOCENTE NA ESCOLA E SUAS RELAÇÕES COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL:

Resumo: A formação docente é um processo coordenado e recorrente de comportamentos linguísticos e culturais, que visa a formação de um corpo social especializado, cujo papel é “educar” formal e informalmente os novos membros da sociedade, para viverem e atuarem responsavelmente e participarem ativamente na (re) construção da sociedade. Dessa forma, essa linha de pesquisa objetiva atuar junto aos docentes e discentes da rede pública do RN buscando promover e desenvolver projetos de pesquisa em ensino-aprendizagem visando as práticas acadêmicas e suas relações com o desenvolvimento sustentável da comunidade escolar.

PESQUISA EM ENERGIAS RENOVÁVEIS:

Resumo: A necessidade de introduzir novas fontes de energia renováveis na matriz eletroenergética brasileira contribuindo para sua inclusão socioeconômica, aumentou a importância de fontes como a solar e a eólica. Isto nos impulsiona a desenvolver pesquisas sobre os principais aspectos das tecnologias envolvidas neste tipo de geração. Objetiva-se principalmente realizar estudos e analisar a viabilidade de projetos ambientais e energias renováveis, no ambiente formal de educação, atuando no desenvolvimento tecnológico e sustentável visando diminuir os impactos da crise de energia e meio ambiente eminente em todo o mundo.

AS TIC’S E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR NAS CIÊNCIAS:

Resumo: Vivemos em um mundo permeado por tecnologias e, nesse contexto, é importante que o professor saiba utilizá-la no seu dia-a-dia levando-a para dentro do espaço escolar, a fim de explorar todas as suas possibilidades e recursos proporcionando um ambiente que seja motivador para o aluno, auxiliando-o na construção do conhecimento. Essa linha objetiva investigar e promover elos entre as ciências e a tecnologia na Educação Básica Estadual.

V. GRUPO: CORPOREIDADE E EDUCAÇÃO

Resumo:

LINHAS:

CORPOREIDADE E FORMAÇÃO HUMANESCENTE:

Resumo: Urge a necessidade de dá visibilidade a um cenário, no qual existe uma prática educativa que sensibiliza o ser humano, professor em formação, numa perspectiva humanescente de viver. Esse é um desafio permanente para um grupo de professores formadores que atuam nesta Instituição, por entenderem que as ações humanas, ou suas atitudes, conforme afirma Régis de Morais (2003, p. 97), citando Edmond Barbotin, “significam as pessoas, suas intenções, seus sentimentos, sua profundidade e sua mobilidade. Elas nunca são coisas só corporais; as atitudes são uma espécie de linguagem do espírito”. Sendo assim essa linha de pesquisa pretende investigar e divulgar os resultados dessa prática.

A LUDOPOIESE E A EDUCAÇÃO ECOSSISTÊMICA:

Resumo: A ludopoiese é um constructo teórico defendido por Pinheiro (2011), tendo como bases: o Pensamento Ecossistêmico de Morais (2008), o Pensamento Complexo de Morin (1995), a Teoria da Autopoiese (MATURANA, H. R. & VARELA, 1997), e da Teoria do Fluxo de Csikszentmihalyi, (1992;1999). Busca-se compreender como os processos ludopoiéticos dos educadores e educandos, afetam e/ou possibilitam mudanças e transformações humanescentes no ambiente educacional. Nesse sentido, indicamos que a ludopoiese de cada sujeito, permeia a sua corporeidade numa constante auto-organização criativa de viver e aprender. Tratando-se assim, de uma condição humana possível e relevante de ser investigada nos diversos contextos educacionais.

CORPO, ARTE, VISUALIDADE E EDUCAÇÃO:

Resumo: Parte-se do entendimento do corpo como campo de experiência, da estesia em que o olhar habita. Nesse sentido, a abordagem fenomenológica com base no pensamento filosófico de Merleau-Ponty (1945) orienta nosso modo de investigação no campo da Educação. Busca- se no contexto da formação de professores contribuir com estudos da formação do olhar leitor no diálogo entre corpo, visualidade, arte e educação.

VI.GRUPO: GRUPO DE PESQUISAS E ESTUDOS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA (GPEEM):

Resumo: O grupo de pesquisa GPEEM, formado por professores formadores do IFESP, tem como objetivo realizar estudos e pesquisas que se voltam para a Educação Matemática. Este grupo está aberto a comunidade de educadores da Educação Básica, como também para futuros professores que ainda estão em processo de formação, de modo que por meio de uma participação ativa e solidária possamos produzir e difundir novos conhecimentos que poderão ser transformados em ações colaborativas de aprendizagem.

LINHAS:

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA:

Resumo: Essa linha visa o desenvolvimento de pesquisas sobre a História da Educação Matemática articulada às questões de ensino e formação docente. As investigações se desenvolvem com uma postura interdisciplinar e apoia-se na História, na Filosofia e na Sociologia. As pesquisas se desenvolvem com a colaboração de professores formadores do IFESP em conjunto com professores da Educação Básica do Rio Grande do Norte, e principalmente, temos a participação dos graduandos do Curso de Matemática desta instituição. Nossa missão é ter um novo olhar para o conhecimento, visto sob diferentes aspectos e examinados em diferentes tempos e espaços, escolares ou não escolares, nos quais os saberes matemáticos estão envolvidos. Assim, estudos historiográficos dessa natureza possibilitam a compreensão de como a Matemática está inserida no mundo, sendo de grande relevância para futuras ações político-pedagógicas que venham a ajudar a Educação como um todo.

JOGOS E DESAFIOS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO MATEMÁTICO:

Resumo: Essa linha visa promover momentos de estudos sobre a utilização de materiais lúdicos como fontes de recursos para o ensino e aprendizagens de conceitos matemáticos. O uso de jogos e desafios matemáticos tem-se mostrado uma rica área de exploração para desenvolvermos recurso para aprendizagem de estudantes da educação básica e em conteúdo do nível superior de ensino, trazendo como principais recursos metodológicos o uso de jogos e materiais manipuláveis e as tendências em educação matemática de modelagem e resolução de problemas, tais campos são defendidos como áreas de estudo da educação matemática por pesquisadores nacionais e internacionais, a saber, Fiorentini e Miorim 1990, Lorenzato 2009, Mendes 2009, D’ambrosio 1996, Dienes e Golding 1976. Diante do exposto, podemos inferir uma proposta de pesquisa direcionada para professores atuantes da educação básica que estejam em formação inicial, e/ou continuada.

VII. GRUPO : LINGUAGEM, ENSINO E APRENDIZAGEM:

Resumo: O grupo de pesquisa tem como objeto de estudo a leitura compreensiva como estratégia para ensino-aprendizagem das áreas de conhecimento, por compreendermos que é uma competência básica de responsabilidade da escola, portanto de todos. O grupo por sua composição é interdisciplinar, pois é formado por professores das áreas de Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Pedagogia, além de contar com um professor colaborador e alunos tanto da graduação quanto da especialização.

LINHAS:

A LEITURA COMPREENSIVA COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NAS ÁREAS DE CONHECIMENTO:

Resumo: O presente projeto de pesquisa tem como foco principal o estudo da leitura compreensiva como estratégia para ensino-aprendizagem de todas as áreas de conhecimento, uma vez que a consideramos uma competência básica que deve ser trabalhada por professores de todas as áreas de conhecimento. Nesse sentido, o estudo pretende abrir um espaço para que os professores alunos, dessa instituição de ensino superior, contribuam na competência leitora de seus alunos, da Educação Básica, subsidiando-os na compreensão dos diferentes gêneros discursivos dos livros didáticos das diferentes áreas de conhecimento. Aprender qualquer disciplina implica no desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita, deixando de ser responsabilidade apenas de professores de Língua Portuguesa. Sabemos que a leitura é um meio importante para aquisição de novas aprendizagens, à medida que os alunos avançam na escolaridade, aumenta a exigência de uma leitura independente para acesso a novos conhecimentos das diferentes áreas que formam o currículo. Um dos grandes desafios da escola pública brasileira é contribuir para o avanço na construção do conhecimento e, consequentemente, ensinar os alunos a ler para aprender, atribuindo significado. Nesse contexto, é nosso papel, enquanto docentes de uma instituição de ensino superior propiciar condições para ensinar e motivar o uso das estratégias de leitura junto não apenas aos professores alunos, mas também dos docentes que compõem esta instituição de ensino.

Prof. Dr. NEDNALDO DANTAS DOS SANTOS

Quanto a avaliação os projetos de criação dos Grupos e Linhas de Pesquisa serão apreciados pelo NEPE e encaminhados à Direção Geral e Coordenação Pedagógica que determinará quanto à sua vinculação aos interesses do IFESP. Em caso de concordância, o projeto será encaminhado ao Comitê de Avaliação de Projetos que emitirá parecer sobre os aspectos éticos, técnicos e científicos do Projeto de criação do Grupo, bem como dos projetos de pesquisa vinculados às respectivas linhas.